quinta-feira, 26 de outubro de 2017

A boa vida do operador de Henrique Alves em Brasília

Escalado para receber propina em nome de Henrique, Norton Masera sempre ostentou rotina de luxos

Da revista IstoÉ

Mesmo com uma renda modesta, ele levava uma vida de luxo, como é possível constatar na foto acima, em que aparece a bordo de uma lancha. Era visto em Brasília dirigindo carros potentes, como um chevrolet Camaro, e pilotando motos caras. Além disso, é proprietário de bela casa de dois pavimentos em condomínio valorizado. Na época de vacas gordas, dividia o tempo com seu maior hobby, que é o motociclismo, e frequentava festas badaladas na capital federal.

Revista revela como um assessor de salário modesto para Brasília vive como rico
Em algumas delas, costumava chegar pelas águas do Lago Paranoá. Assim vivia até bem pouco tempo o servidor do Ministério do Turismo, Norton Domingues Masera, de 42 anos.

O que pouca gente sabia é que ele era o homem encarregado de receber propina em nome do ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que está preso em Natal por superfaturamento nas obras do estádio Arena das Dunas em Natal. Foi com as porcentagens desse dinheiro sujo que o funcionário público bancou festas, comprou veículos valiosos e construiu uma moradia invejável.

Quem denunciou ao Ministério Público a função cumprida por Masera foi o doleiro Lúcio Funaro, em delação premiada. Um dos principais responsáveis pela prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, Funaro disse que parte dos repasses ilegais destinados a Henrique Alves foi feita a assessores do ex-ministro do Turismo. Um deles seria Masera.

A afirmação de Funaro é comprovada nas planilhas do operador do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha apreendidas pela PF. Nelas, há uma indicação de que Masera recebeu R$ 600 mil em setembro de 2014, quando Henrique Alves era presidente da Câmara.

Depois que passou a exercer a atividade, o secretário parlamentar da Câmara, na ocasião, aumentou seu patrimônio consideravelmente. Entre um transporte e outro de malotes de dinheiro desviado de órgãos públicos – quando Henrique Alves estava solto –, o homem da mala se dedicava aos prazeres da vida.


Em 2015, Henrique Alves, já no Ministério do Turismo, o nomeou assessor especial, cargo que ele exerce até hoje. Seu salário é de R$ 5,4 mil. Em junho deste ano, as finanças sofreriam um baque. Henrique Alves acabou preso em uma das fases da Operação Lava Jato.

Com o ex-ministro e Lúcio Funaro encarcerados, as propinas minguaram. A vida de Norton não foi mais a mesma.

A situação pode piorar caso a Justiça decida penhorar seus bens para cobrir o desvio dos cofres públicos.

Essa matéria foi publicada há poucos dias. Realmente, a vida do operador piorou. Ele foi preso hoje (veja AQUI).

Acompanhe o Blog ApoDiário pelo Twitter clicando AQUI.

Um comentário:

aluisio huenes de Oliveira disse...

Depois dos lulinhas e a filha da dilma fizeram nada mais me surpreende voce deve saber que os filho do lula usavam avioes da fab em finais de semana pra levar amigos de sao bernardo pra brasilia, pintaram até uma estrela vermelha na grama do palácio da alvorada residencia oficial do lula, a paula filha da dilma tinha 8 carros e motoristas em sao paulo sem ter direito a carro oficial, vergonha , será que os petistas lula dilma podiam tudo será que eram deuses, ou será que os eleitores petistas hibernaram nos 13 anos de escandalos e corrupçao dos governos petistas , acho que nao é que sao parciais,criticam tud que o temer faz se que o temer é coorupto porém também sei que aprendeu com lula e dilma , porém uma coisa nao faz dar nosso dinheiro pra ditadores amigos nem bilhoes pra jbs comprar frigorificos nos estados unidos, com todos os males o governo temer é menos ruim que dilma lula, pois sabemso que quem fato governou o brsil neset 13 anos foi lula a dilma apenas cumpria ordens do lula tenho vergonha de saber que muitos brasileiros apoia quem levou o brasil ao maior desemprego da historia levando muitos a morar nas ruas pensem reflitam por favor.