sábado, 2 de dezembro de 2017

Brasil não está tão bem no grupo da Copa

Se o Brasil comandado por Tite é franco favorito para se classificar em primeiro lugar pelo grupo E da Copa do Mundo da Rússia em 2018 — conhecido após sorteio realizado ontem —, o Brasil presidido por Michel Temer (PMDB) não se sai tão bem quando a comparação com Costa Rica, Sérvia e Suíça se afasta das quatro linhas.

Além de estar a frente dos adversários no ranking da Fifa, o Brasil tem o maior PIB e a maior população entre os quatro integrantes do grupo E.

Já em termos de índice de desenvolvimento humano (IDH), indicador calculado pela ONU e que mistura critérios de renda, educação e saúde, o Brasil fica atrás dos três futuros adversários. O país ocupa a 75ª posição, enquanto Sérvia e Costa Rica estão na 66ª e 69ª colocações, respectivamente, e a Suíça ostenta o belíssimo terceiro lugar.

Quando se olha o PIB per capita no critério que ajusta o poder de compra da moeda, o Brasil fica em terceiro, um pouco a frente da Sérvia, com uma média de US$ 15,5 mil por ano, de acordo com dados do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em termos de crescimento econômico, o Brasil tem a pior projeção para 2017 entre os quatro — de 0,7% antes da divulgação do dado referente ao terceiro trimestre, que pode melhorar o cenário. O destaque nesse caso fica para a Costa Rica, que deve crescer 3,8% este ano.

No quesito inflação, apesar da acentuada desaceleração observada este ano, o Brasil ainda deve ter a maior alta média de preços em comparação com os adversários da primeira fase na Copa do Mundo.

No aspecto fiscal a situação do país tampouco fica boa na foto. Ao se observar de forma combinada tanto o fluxo (déficit como proporção do PIB) como o estoque (dívida bruta em relação ao PIB), o Brasil é o que mostra o endividamento mais preocupante.

A seis meses e meio do início da Copa, mesmo que tivesse empenho, sorte e uma base de apoio digna do nome no Congresso, Temer não conseguiria chegar a junho com indicadores econômicos melhores que os de Costa Rica, Sérvia e Suíça.

As fichas têm que estar então no técnico Tite, no trio Neymar, Gabriel Jesus e Philippe Coutinho e… nas eleições de 2018.

Fonte: Valor

Acompanhe o Blog ApoDiário pelo Twitter clicando AQUI e no Instagram clicando AQUI.


Um comentário:

aluisio huenes de Oliveira disse...

Marmelada escreva ai sempe a seleçao brasielra tem a ajuda do apito amigoassim como o corintians e o flamengo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.