quinta-feira, 11 de julho de 2019

Um vislumbre de esperança

Rodrigo Maia foi o grande vencedor de hoje. A aprovação da reforma da Previdência, em primeiro turno, é uma conquista histórica para ele e para o Congresso. Mais que isso, tem o potencial de desatar o nó da Economia.

No final, apenas o PT, o PSOL e o PC do B saíram derrotados, o que já se tornou um hábito. Para o presidente Bolsonaro e para Paulo Guedes, não chega a ser uma derrota importante. Apesar das alterações no texto original, ainda cabem ajustes. O tempo deve creditar a eles, além de Maia, o mérito por uma mudança que vem sendo gestada desde FHC.

Mas o que mais chamou a atenção foi o discurso do presidente da Câmara. A gente se acostumou aos discursos inflamados, cheios de ofensas e polêmicas. Maia, não caiu na tentação de alimentar a polarização. Mesmo considerando que o discurso dos vencedores é sempre mais fácil, fazendo vista grossa à inerente hipocrisia política e a capacidade dos parlamentares mais experientes jogarem para a torcida, seu discurso teve um tom conciliador capaz de calar o parlamento lotado.

Coisa rara nos últimos anos. Todos lá, quietinhos, ouvindo o sujeito falar. Importa pouco seu passado político. Muito mais importante é que a aprovação, seu discurso e seu choro são um raro sinal de novidade.

Os três pilares aos quais ele se referiu, a reforma da Previdência, a da Administração e a Tributária são efetivamente as mudanças que o país inteiro espera. Nenhuma das três mudanças pode ser unânime num país como o nosso. Mas quem sabe a gente consiga um passo à frente, com um mínimo comprometimento dos políticos que acostumamos a desprezar.

Pode ser ingenuidade, mas é o que temos para o momento.

Por Mentor Neto

Acompanhe o Blog ApoDiário pelo Twitter clicando AQUI e no Instagram clicando AQUI.



Nenhum comentário: