domingo, 17 de setembro de 2017

Mais um olhar sobre as atividades brasileiras contemporâneas

Por Bruno Coriolano

Parece-me que, no Brasil, existe um grande projeto para tornar todo e cada brasileiro desesperançoso quanto ao futuro da própria nação. Quem não tem esperança não reage. Parece-me lógico! (Ótima tática de manipulação). Sim, está dando certo. Nossas instituições estão descreditadas, não temos grandes ídolos, nossa ciência inexiste, nossas artes existem apenas por meio de casos isolados... uma situação complicada, mas desacreditar é continuar vivendo apenas para pagar impostos para manter tudo isso girando do mesmo jeito (do jeito que não funciona).

Precisamos mudar as forma e sistema de governo, pagar menos impostos, enxugar o Estado brasileiro, diminuir os salários dos cargos eletivos e do judiciário, tirar as empresas que só dão prejuízo das mãos do Estado, nova constituição com leis mais rígidas (sem tantas instâncias), acabar com a burocratização dos serviços públicos e entender que as pessoas vivem nos municípios e não em Brasília, ou seja, descentralizar geral para poder investir tudo nos municípios. O Estado brasileiro, por meio de todos os governos por nós legitimados, mostrou-se incapaz e péssimo gestor de recursos públicos. Só deveria tomar conta da segurança, saúde e educação (sobretudo investindo na educação básica). Temos que acabar com o paternalismo.

O Estado tem que dar condições para os indivíduos poderem gerenciar suas próprias vidas, sem interferir tanto nas propriedades públicas e privadas. A ideologia que deveríamos adotar era a da liberdade do indivíduo, o que poderia proporcionar uma nação menos alienada. E negrinho que não trabalha e vive somente às custas da ignorância dos outros não deveria receber salário pago pelo povo.

Bruno Coriolano é funcionário público federal

Acompanhe o Blog ApoDiário pelo Twitter clicando AQUI.

Nenhum comentário: