quinta-feira, 24 de outubro de 2019

O abre e fecha portas no STF para tirar ou manter Lula na cadeia

A ofensiva no STF para dar um tranco na Lava Jato e em outras investigações sobre corrupção continua a tropeçar em suas próprias decisões. A carta tirada da cartola de alguns ministros de que, nas alegações finais em primeira instância, os réus delatados teriam que falar sempre depois dos réus delatores, caiu em buraco negro no próprio tribunal. Ali se jogou para a frente, por um tempo indeterminado, como e quando definir as regras a aplicar a um universo de decisões que eles sequer sabem quais são.

Numa exemplar reação a esse barata voa de regras aprovadas pelo STF com conclusão sine die, o procurador regional da República Maurício Gerum, que atua nos casos da Lava Jato em segunda instância no TRF-4, acatou a decisão do Supremo e propôs a anulação da condenação de Lula e todos seus supostos cúmplices no caso do Sítio de Atibaia. O tribunal já marcou o julgamento desse requerimento para o dia 30 de outubro. É uma mostra de agilidade da Justiça Federal sem se intimidar com o jogo de filigranas que enriquece advogados e tanto sucesso faz nos tribunais em Brasília.

Clique AQUI e continue lendo.

Por Andrei Meireles



Nenhum comentário: